Dicas de Saúde

Podemos movimentar os dentes mais rapidamente? Um resumo das evidências atuais – Parte III

Dando continuidade a sequencia de posts anteriores, onde falamos sobre tipos de aparelhos, bráquetes, fios e alinhadores estéticos (Invisalign) e o seu real impacto no tempo de tratamento ortodôntico, no presente artigo falaremos sobre outras alternativas bastante comentadas e em evidência na última década: o Acceledent e as corticotomias.

Biologia do movimento dentário

Outras abordagens que têm sido levantadas para acelerar o tratamento ortodôntico são, em realidade, tentativas de se modificar os fatores biológicos relacionados à movimentação dentária. Este sim é um raciocínio totalmente lógico e uma grande quantidade de pesquisas estão em andamento para avaliar esse progresso. No entanto, poucas destas pesquisas têm sido adequadamente revisadas. 

Acceledent

Para aqueles que não estão cientes dessa nova tecnologia, este é um dispositivo intra-oral, que aplica vibrações aos dentes durante 20 minutos por dia para os pacientes em tratamento ortodôntico. O objetivo do Acceledent é aumentar a velocidade de tratamento ortodôntico e reduzir o desconforto.

Uma grande quantidade de informações tanto para os pacientes quanto para os dentistas é fornecida no site da Acceledent (www.acceledent.com). As promessas no site e as manchetes em revistas de propagandas afirmam que "Através do uso de mini-impulsos suaves, tecnologia chamada de SoftPulse, a remodelação óssea é acelerada, permitindo que os dentes se movimentem até 50% mais rápido". Ou ainda: "Movimentação dentária mais rápida pode diminuir a duração de seu tratamento ortodôntico e pode ajudar a tornar sua ortodontia mais confortável". Será?

Todos nós queremos fazer os dentes se movimentarem mais rápido. Eu sinto que o Acceledent é um conceito interessante e que é cientificamente fundamentado. No entanto, atualmente a evidência que suporta o seu uso e promoção não é de alto nível e seria ótimo ver alguns ensaios clínicos bem elaborados. Cabe a nós, como “cientistas clínicos”, interpretar as evidências e decidir se queremos ou não usar um novo dispositivo.

Em resumo, parece que faltam evidências que comprovem os efeitos das forças vibratórias e a sua influência no movimento dentário. Um pequeno trabalho9 (cientificamente pobre e falho, na minha opinião) sugere que há um pequeno aumento no movimento dentário. No entanto, esta pesquisa foi financiada pela Acceledent, executada por um consultor da Acceledent e publicada na Seminars in Orthodontics. Um outro estudo, maior, realizado por uma equipe independente e publicado no excelente Journal of Dental Research, concluiu que o Acceledent não aumentou o movimento dentário10.

Corticotomias 

Outra abordagem preconizada é a realização de pequenos procedimentos cirúrgicos para acelerar a movimentação dentária, as chamadas CORTICOTOMIAS. As evidências que sustentam esta intervenção foram resumidas em uma revisão sistemática Cochrane, um dos estudos de mais alta qualidade e alto nível de evidência científica, recentemente publicada em 2015.11 Eles encontraram que o movimento dentário foi ligeiramente mais rápido com ortodontia cirurgicamente assistida, porém salientaram que novas pesquisas precisam ser realizadas para que esse método seja amplamente aceito. Também devemos avaliar estes achados no que diz respeito aos riscos do tratamento, como por exemplo, a dor, o desconforto e o custo global do tratamento. Mais uma vez, ainda acredito que, atualmente, ainda há falta de evidência sobre a eficácia desse tipo de intervenção, muito embora temos utilizados com bastante frequência em nossa clínica, especialmente para alguns movimentos específicos e pontuais, associados a ancoragem esquelética, como a intrusão de molares extruídos para permitir o restabelecimento da dimensão vertical e a posterior reabilitação protética do antagonista.

OBS: essa série de artigos continua. No próximo e último post, serão abordadas e discutidas outras formas utilizadas para acelerar o tratamento ortodôntico como o Laser de baixa intensidade e a Luz halógena ou LED e será feito um resumo atual das evidências sobre o assunto. Não percam!!!

 

Dr. Gustavo Zanardi – CRO/SC 8900
Graduação em Odontologia (UFSC)
Mestre e Especialista em Ortodontia (UERJ)
Fellow at University of North Carolina, Chapel Hill, NC, USA
Invisalign Doctor Provider

 


REFERÊNCIAS

  1. Self-ligation and faster treatment time – a myth? Vignesh Kailasam, Nithya Jagdish, Arun B. Chitharanjan American Journal of Orthodontics and Dentofacial Orthopedics, Vol. 146, Issue 5.
  2. Songra, G., Clover, M., Atack, N., Ewings, P., Sherriff, M., Sandy, J., & Ireland, A. (2014). Comparative assessment of alignment efficiency and space closure of active and passive self-ligating vs conventional appliances in adolescents: A single-center randomized controlled trial American Journal of Orthodontics and Dentofacial Orthopedics, 145(5), 569-578 DOI: 1016/j.ajodo.2013.12.024
  3. Fleming, P.S., DiBiase, A.T., Lee, R.T. Randomized clinical trial of orthodontic treatment efficiency with self-ligating and conventional fixed orthodontic appliances. Am J Orthod Dentofacial Orthop.2010;137:738–742.
  4. Johansson, K., Lundström, F. Orthodontic treatment efficiency with self-ligating and conventional edgewise twin brackets: a prospective randomized clinical trial. Angle Orthod. 2012;82:929–934.
  5. Fleming, P.S., Johal, A. Self-ligating brackets in orthodontics. A systematic review. Angle Orthod.2010;80:575–584.
  6. Chen, S.S., Greenlee, G.M., Kim, J.E., Smith, C.L., Huang, G.J. Systematic review of self-ligating brackets. Am J Orthod Dentofacial Orthop. 2010;137:726.e1–726.e18.
  7. Ong, E., McCallum, H., Griffin, M.P., Ho, C. Efficiency of self-ligating vs conventionally ligated brackets during initial alignment. Am J Orthod Dentofacial Orthop. 2010;138:138.e1–138.e7.
  8. Pandis, N., Polychronopoulou, A., Eliades, T. Self-ligating vs conventional brackets in the treatment of mandibular crowding: a prospective clinical trial of treatment duration and dental effects. Am J Orthod Dentofacial Orthop. 2007;132:208–215.
  9. Pavlin, D., Anthony, R., Raj, V., & Gakunga, P. (2015). Cyclic Loading (Vibration) Accelerates Tooth Movement in Orthodontic Patients: A Double-Blind, Randomized Controlled Trial. Seminars in Orthodontics.
  10. Woodhouse, N., DiBiase, A., Johnson, N., Slipper, C., Grant, J., Alsaleh, M., Donaldson, A., & Cobourne, M. (2015). Supplemental Vibrational Force During Orthodontic Alignment: A Randomized Trial Journal of Dental Research, 94(5), 682-689.
  11. Fleming PS, Fedorowicz Z, Johal A, El-Angbawi A, Pandis N. Surgical adjunctive procedures for accelerating orthodontic treatment. Cochrane Database of Systematic Reviews 2015, Issue 6. Art. No.: CD010572. DOI: 10.1002/14651858.CD010572.pub2.

Tags: invisalign, tratamento ortodôntico, clear aligners, ortodontia, aparelho ortodôntico, acelerar o tratamento, bráquetes autoligados, fios ortodônticos, movimentar os dentes, alinhadores, alinhadores ortodônticos, orthoaligner, compass3d, estética, odontologia, braces, corticotomia, corticotomias, corticotomy, acceledent, orthodontic treatment

Deixar seu comentário

Postar comentário

0 / 300 Restrição de Caracter
Seu texto deve conter 10-300 caracteres
Seus comentários estão sujeitos a moderação do administrador.
termos e condições.
  • Nenhum comentário encontrado

Não encontrou o que estava procurando?

agenda_consulta